quarta-feira, dezembro 31, 2008

FELIZ 2009

Recomeça....
Se puderes
Sem angústia
E sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.
E, nunca saciado,
Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.
Sempre a sonhar e vendo
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura

Onde, com lucidez, te reconheças...
- Miguel Torga -

domingo, dezembro 21, 2008


Porque momentos especiais devem ser partilhados com pessoas especiais, o Natal é uma época para aqueles que amamos, na certeza de que nos são indispensáveis... hoje, e sempre!
Boas Festas

domingo, dezembro 14, 2008

porque o amor não depende

nunca serás tu
ou tu
foste talvez sempre Tu
ainda agora
e aqui no tempo sem tempo
a força é amor e eu sei
que o Amor Absoluto não depende
nem do tempo nem do espaço
porque o amor não depende
o amor É
ou não é ............................................................by Lena d'Água

sábado, dezembro 13, 2008

sexta-feira, dezembro 05, 2008


Há dia, sabes, em que gostava de ser como o gato e que me tocasses sem desejar encontrar quaisquer sentimentos a não ser o que se exprime num espreguiçar muito lento - um vago agradecimento? - e que depois me deixasses deitado no sofá sem que nada pudesses levar da minha alma, pois nem saberias o que dela roubar.
- Pedro Paixão -
Gosto dos teus olhos, que me arrancam a roupa com desejo. Gosto dessas mãos sedentas que, apressadas, ajudam o olhar. Da boca que impede o corpo nu de arrefecer. Do meu corpo nu, coberto com o teu corpo nu... do toque. Corpos arrepiados de calor.
Sabes-me a hora tardia de uma noite interminável de verão.

quinta-feira, dezembro 04, 2008

foi a teu lado que parti vidros e gritei e depois adormeci sem saber como, encantado. foi a teu lado, ao teu lado, em teu lado que cresci e aprendi também a ser assim, - pirilampo - aquele que pelo escuro se vai iluminando.

@ Helena & Pedro

explicação da eternidade

devagar, o tempo transforma tudo em tempo. o ódio transforma-se em tempo, o amor transforma-se em tempo, a dor transforma-se em tempo. os assuntos que julgámos mais profundos, mais impossíveis, mais permanentes e imutáveis, transformam-se devagar em tempo. por si só, o tempo não é nada. a idade de nada é nada. a eternidade não existe. no entanto, a eternidade existe. os instantes dos teus olhos parados sobre mim eram eternos. os instantes do teu sorriso eram eternos. os instantes do teu corpo de luz eram eternos. foste eterna até ao fim.
- José Luís Peixoto -

terça-feira, dezembro 02, 2008

Querido Pai Natal...

É sabido que, por cá, a preferência vai para malas, sapatos e perfumes... livros e cds são, igualmente, apreciados. Aliás, qualquer embrulho com um belo laço será bem recebido. De qualquer forma, em caso de dúvida, há algumas coisas que, realmente, me fazem falta e, nesse caso, cá ficam umas sugestões para os meus presentes de Natal:








E, por favor... este ano, tenta respeitar a lista, ok?

segunda-feira, dezembro 01, 2008

O maior medo era esquecer-te. Medo que chegasse o dia em que esqueceria o teu sorriso, os teu olhos, o som da tua voz. E o teu cheiro... Medo de não sentir mais nada, porque não me lembraria do calor e força do teu abraço. Medo de não voltar a dormir com a cabeça no teu peito, a achar que o mundo podia acabar naquele momento. O maior medo era esquecer-te... e era também a maior vontade. Agora, é um sim-não que se traduz num 'tanto faz' que me aborrece, porque odeio o que é, sem nunca ser ou ter sido, o morno, o meio-termo aparentemente cómodo que me dá comichões, porque não é nada. Prefiro sentir. Bom e mau. Bom ou mau. Sempre e intensamente. Tudo!